quinta-feira, 24 de abril de 2014

Renovar


"Eu preciso muito deixar acontecer o momento da renovação, trocar de pele, mudar de cor.
 Tenho sentido necessidades do novo, não importa o quê, mais que seja novo, nem que sejam os problemas.
 Preciso deixar a casa vazia para receber a nova mobília!
 Fazer a faxina da mente, da alma, do corpo e do coração! 
Demolir as ruínas e construir qualquer coisa nova, quem sabe um castelo."
 Caio Fernando Abreu

 Boa Tarde
 Low

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Tudo na vida tem um preço.


A cada novo minuto você tem a liberdade e a responsabilidade de escolher para onde seguir,
 mas é bom lembrar que tudo na vida tem um preço.
 Zíbia Gasparetto
 Boa Noite
 LOW

sábado, 19 de abril de 2014

FELIZ PÁSCOA


É necessário abrir os olhos e perceber:
 Que as coisas boas estão dentro de nós,
 onde os sentimentos não precisam de motivos 
nem os desejos de razão.
 O importante é aproveitar o momento, 
e aprender sua duração...
 Pois a vida está nos olhos de quem sabe ver!!!!!

 Feliz Páscoa

Paz e Luz!!!
 Low

terça-feira, 15 de abril de 2014

Sonhe...


"Sem sonhos, a vida não tem brilho. 
Sem metas, os sonhos não têm alicerces.
 Sem prioridades, os sonhos não se tornam reais.
 Sonhe, trace metas, estabeleça prioridades e corra riscos para executar seus sonhos.
 Melhor é errar por tentar do que errar por omitir!"
 (Augusto Cury) 

 beijinhos

 LOW

Os fracos se vingam...



“Dar a outra face é um símbolo de maturidade e força interior. 
Não se refere à face física, mas à psíquica. 
Dar a outra face é procurar fazer o bem para quem nos decepciona, é ter elegância para elogiar quem nos difama, altruísmo para ser gentil com quem nos aborrece.
 É sair silenciosamente e sem estardalhaço da linha de fogo dos que nos agridem. 
Dar a outra face previne homicídios, traumas, cicatrizes impagáveis.
 Os fracos se vingam, 
os fortes se protegem.”
 Augusto Cury 

Bom Dia!! 
 LOW

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Gente Feliz.....


Gente feliz não incomoda, não maltrata, não toma as dores, não sente raiva, não guarda rancor, não humilha, não sente inveja.
 Gente feliz já está ocupado com a própria vida e não tem tempo para cuidar das dos outros.
 Gente feliz não grita a sua felicidade, pois é com o silêncio que ele prova a verdade.
 Gente feliz reconhece os defeitos e qualidades que tem sem precisar provar nada à ninguém.
 Maíra Cintra 

 Bom Dia e um delicioso café da manhã!!!!!!!!

 LOW

terça-feira, 25 de março de 2014

Tomara......


Tomara que a gente não desista de ser quem é por nada nem ninguém deste mundo.
 Que a gente reconheça o poder do outro sem esquecer do nosso. 
Que as mentiras alheias não confundam as nossas verdades,
 (...) Que friagem nenhuma seja capaz de encabular o nosso calor mais bonito.
 Que, mesmo quando estivermos doendo, não percamos de vista nem de sonho a ideia da alegria.
 Ana Jácomo 

 Bom Dia 
 LOW

terça-feira, 18 de março de 2014

Verdade


Pode-se dizer que, na infância, fui uma menina fechada.
 Não excessivamente introvertida, mas na minha.
 Não falava muito sobre o que sentia e pensava.
 Ficava matutando com meus botões apenas, ou colocava tudo num diário que era protegido por um cadeado.
 Dá para acreditar, nos dias que correm, que já existiu quem trancafiasse sua intimidade a chave?
 Os diários eram nossos cintos de castidade mental.
 Não estou exaltando os velhos tempos: ser tão ensimesmada não me rendeu grande coisa na época.
 O.k.,
 desenvolveu minha introspecção, que é importante para quem escreve, mas retardou meu encontro com os outros
 – um encontro que só se dá plenamente quando somos menos defensivos.
 O que fica secreto não chega a ser uma mentira, mas é algo que não ventila, não dialoga, não evolui, mantém-se estático na sua inutilidade, mofando, criando teias e envelhecendo sem nunca ter sido confrontado. 
Não acho que tenhamos que nos expor indiscriminadamente, isso é uma ansiedade quase doentia. 
Mas nem por isso defendo uma sociedade de caramujos.
 A transparência dos nossos pensamentos e sentimentos é o único meio de estabelecermos conexões fortes e de avançarmos, tanto pessoal quanto socialmente.
 É muito difícil se relacionar com quem não se entrega, não assume suas fragilidades, não deixa cair a máscara. 
Não só difícil, como perigoso.
 E chego ao voto secreto, essa aberração política que impede que conheçamos de fato nossos representantes e que permite indecências cujo maior colaborador é o silêncio. 
O silêncio é o principal aliado do mais grave problema do Brasil, a impunidade.
 Não só o silêncio que mantém os direitos políticos de um ladrão sentenciado, mas o silêncio de mulheres que mantêm a impunidade dos familiares que as violentam, o silêncio de cidadãos que testemunham crimes e não os denunciam, o silêncio que sustenta farsas, pessoas de duas caras, relações de fachada. 
 Transparência não é um comportamento fácil de adotar.
 Muitos se sentem incomodados diante da exposição de seus erros, constrangidos por falhar, humilhados por não ter acertado.
 Só que nada disso nos desonra, ao contrário.
 A transparência nos humaniza, nos refina e nos torna melhores
 – vale para pessoas, para cidades, para nações. 
Até uma árvore que cai num parque tem a ver com esse assunto, nem que seja como metáfora
 – a deterioração que se mantém escondida cedo ou tarde se manifesta da pior forma.
 Há quem evite a transparência porque ela pode causar vergonha.
 Ora, é justamente de mais vergonha que precisamos.
 A vergonha nos civiliza e nos estimula a agir de forma correta.
 Sejamos francos, verdadeiros, mesmo que isso nos cause algum desconforto. 
É mais digno do que morrer abraçado ao lado secreto da vida, esse que costuma cair de podre.

 Martha Medeiros - Jornal Zero Hora 

 Bom Dia

 LOW

sexta-feira, 14 de março de 2014

Escolhas


Há milhares de anos, o ser humano tenta decifrar o tal
"segredo"
 para realizar seus desejos e alcançar suas metas.
 De tempos em tempos,
 uma nova teoria é formulada e cria-se uma nova tentativa de explicar, 
de forma mais simples e detalhada, o "caminho das pedras". 
 Este mais recente, de Ronda Byrne - resumido em três passos:
 "peça, acredite e receba" 
- foi muito bem interpretado por Aldo Novak, ao substituir essas palavras-chaves por
 "pense, sinta e aja". 
Afinal, foram certamente nossos pensamentos, sentimentos e ações que nos conduziram ao lugar onde estamos neste exato momento.
 Então, por que não moldá-los - na medida do possível - a fim de que nos conduzam até onde, conscientemente, queremos chegar?
 Dadas as devidas proporções, acredito realmente que podemos escolher o que vamos viver. 
Entretanto, também acredito que, para isso, alguns detalhes são extremamente importantes. 
O primeiro é conhecer a si mesmo.
 Reconhecer suas habilidades e seus potenciais tão bem quanto suas limitações e dificuldades.
 Isso é essencial para a noção de equilíbrio que precisamos ter entre trabalho
 (a nossa parte, o que deve ser feito) 
e merecimento (o que cabe ao Universo)! 
 Dito isto, fico imaginando o que faríamos se fosse criada uma fórmula eficiente e infalível para atrair e conquistar um grande amor.
 Que dados inseriríamos nesta fórmula para atrair a "pessoa certa"?
 Quem seria ela?
 Quem seria o grande amor no qual você apostaria a partir deste novo segredo da felicidade?
 Pois se sua resposta incluiu algo como nome, sobrenome ou endereço, pode apostar que está redondamente enganado!
 Não vai dar certo!
 Isso tem mais a ver com capricho ou egoísmo, imaturidade ou ansiedade do que com amor de verdade, com consciência real. 
 Ou seja, enquanto você continuar desejando uma pessoa específica, com número de documento conhecido, as chances do tiro sair pela culatra serão imensas! 
Sabe por quê? 
Porque não sabemos tudo. 
Não conseguimos enxergar o futuro, o amanhã.
 Existe uma sabedoria que não alcançamos, que não dominamos. 
É o campo da fé, do inexplicável (pelo menos até então), da confiança na vida ou numa instância superior. Sobretudo, é preciso aceitar que não existe algo como uma forma de bolo, onde você possa colocar ingredientes efêmeros e instáveis como cor, raça, tamanho, conta bancária, idade, cargo, entre outros.
 Isso não funciona!
 Pode mudar a qualquer momento.
 Então, não adianta bater o pé e gritar que você só vai ser feliz se estiver ao lado de fulano ou sicrano.
 Pare com esse pedido infantil e incrédulo.
 Peça maior!
 Peça a partir de características que sejam compatíveis com sua alma.
 É disso que tratam os que falam sobre "almas gêmeas".
 Não de corpos, tão insustentáveis, mas de almas. 
E o que sustenta uma alma tem a ver com caráter, valores, crenças, verdades interiores, escolhas, ações, coração, energia, luz e características afins. 
Tem a ver, sobretudo, com o que não tocamos, mas sentimos!
 Pode parecer mero enredo de música ou poesia, mas é fato. 
É muito mais funcional e constatável do que temos percebido. 
E além de tudo isso, existe outro detalhe ainda mais fundamental. 
Trata-se do que VOCÊ é. 
 De nada vai adiantar investir toda a sua energia na tentativa de viver uma linda história de amor se você nem sabe o que isso significa, se você nem imagina como se comporta quem está comprometido com beleza e entrega. 
Amor não tem a ver com saber conquistar alguém que te faça feliz, mas sim, com saber SER alguém capaz de fazer o outro feliz.
 Fácil? 
Posso te garantir que não! 
Aprendizado para a vida toda! 
Mas só assim pode valer a pena! 
Então, em vez de "moreno, alto, bonito e bem-sucedido"
 ou "loira, olhos verdes, magra e inteligente", 
comece a pedir uma alma que se encaixe com a sua:
 não perfeitamente, porque o perfeito não existe, mas de forma fluida, leve e harmoniosa. 
Porque isso sim - fluidez, leveza e harmonia - indica que estamos no caminho certo.
 No caminho do amor...

Rosana Braga 

 Bom Dia 

 LOW


quarta-feira, 12 de março de 2014

SUPORTAR!?


Se você consultar o dicionário, observará um significado interessante à palavra tolerância.
 SUPORTAR!
 Bem, a partir daí, descobri que existem dois significados à palavra tolerância, um de senso comum: SUPORTAR e outro de senso espiritual:
 ENTENDER E RESPEITAR.
 Na verdade, estamos acostumados com o senso comum, afinal, o que fazemos diante das seguintes colocações: 
 O pagamento do IPTU, todo ano o valor sobe, você paga um absurdo para que?
 Para ter uma rua esburacada, uma calçada de péssima qualidade, uma terrível iluminação, 
uma árvore que você não pode plantar, nem retirar.
 O pagamento do IPVA, para onde vai esse dinheiro? 
Tudo o que se refere a trânsito é caótico.
 Sem contar a luz, a água, o supermercado, os impostos são gritantes, você literalmente paga para os políticos fazerem a festa com nosso dinheiro.
 Toleramos a corrupção descarada, a falta de segurança,
 a falta de uma educação melhor e para piorar,
 você paga para aguardar de 4 a 12 horas para ser atendido num hospital público. 
Aqui se aplica a palavra tolerar
 - afinal, nós suportamos, muitas vezes calados, tudo isso.
 Mas em se tratando de gente, precisamos antes de mais nada retirar de nosso vocabulário este significado, não precisamos suportar,
 precisamos entender nosso próximo, entender que ele tem defeitos como nós também temos,
 respeitar e aceitar a sua individualidade, seus sonhos, seu jeito de falar, seu processo de aprendizado, seu ritmo.
 Quantas e quantas pessoas toleram tantas coisas do governo, da corrupção, da política,
 e chega em casa não tolera a atitude de um filho, uma conversa da esposa.
 É preciso começar a entender que temos de respeitar as diferenças, 
e elas começam em nosso lar.
 Cada um tem um DNA (Deus é nosso autor) ninguém precisa ser do seu jeito,
 ou fazer as coisas do seu modo.
 Quando teimamos em sermos perfeitos,
 começamos a colocar o senso de razão exclusivamente no que nós pensamos e fazemos;
 iniciamos, assim, o processo de inflexibilidade.
 Quantos e quantos casais preferem uma boa disputa, para ver quem tem razão, 
ao invés de renunciar um pouquinho aqui e um pouquinho ali, tolerando, respeitando, entendendo o ponto de vista do outro.
 Dizem que Deus nos deus uma boca e duas orelhas, uma boca para falar e duas orelhas, para ouvir, mais do que falar,
 mas isso não é verdade, 
Deus nos deu as duas orelhas, uma para ouvir um lado, outro para ouvir o outro,
 escute um pouco o outro lado.
 As vezes queremos ter plena razão e moralidade exagerada, e gritar em alto e bom som aos nossos filhos, que o certo é assim, 
que em nossa época nós eramos diferentes,
 mas ninguém fala que nos anos 70,
 você era um hippie e que gostava de curtir, ou que adorava musica alta e hoje não aceita as mesmas coisas do filho.
 Olhar um pouco o que éramos nos faz entender o processo que cada um passa,
 e nos faz respeitar um pouco mais tudo isso.
 Tolerância comum é algo que não deveríamos ter tanto,
 mas tolerância no sentido espiritual, que envolve nossa família, nosso trabalho, e as pessoas que nos cercam, é um bem necessário.
 Olhe ao seu redor, você sabe me dizer o que está acontecendo no mundo, no oriente médio, por exemplo? A busca pelo poder, através do fanatismo, uma das formas de intolerância, que não respeitam o próximo. Esse fanatismo deve ser banido,
 você não precisa arrastar ninguém para o jeito que você vive, mas sim dar exemplo de como viver melhor. Nossa maior responsabilidade é mudarmos aqui dentro...
 Para assim mudar o mundo!
 Tolere mais no sentido espiritual. 
 Paulo Valzacchi 

 Bom Dia

LOW


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...